Total de visualizações de página

domingo, 2 de abril de 2017

Botafogo: Patrimônio Histórico-Cultural do Schützenverein: Jaime e Eunic...



O Botafogo Futebol Clube de Jaraguá do Sul (SC) foi palco do evento Patrimônio Histórico-Cultural do Schützenverein, que acontece todo ano, há 78 anos na estação de outono.
O evento deste ano foi do casal Jaime e Eunice Reinert Piazera, sendo ele neto de Henrique Piazera – intendente distrital de Jaraguá, entre os anos de 1911 a 1920.
A corte foi completa pelos casais: Valbert e Elenia Dröger, respectivos 1º cavalheiro e 1ª princesa; Carlos e Daniela Dröger Delfen.
A banda Fantástico da cidade de Timbó (SC) abrilhantou o evento, que teve a ritualística folclórica de busca das majestades – comandante, Loreno Marquardt - tarde dançante, café colonial – organizado por Gatti Ehlert e sua equipe de gourmet - disputa de tiro rei e rainha, proclamação e sagração das novas majestades – novamente Jaime Piazera e esposa, com a mesma corte.
Participaram do evento associativista, aproximadamente, 377 contribuintes, uma surpresa, pois as redes sociais – blog do Botafogo Jaraguá e Wahtzappe – se encarregaram de propagar o evento. Dessa forma, compareceu o público das sociedades de tiro de Guaramirim (Brüderthal e Comercial), Blumenau (Itoupava Rega), Rio da Luz/Jaraguá (Ribeirão Grande da Luz, Guarany, Vitória, Centenário, Barg), 25 de Julho/ Jaraguá 99.
Através deste evento, o Botafogo Futebol Clube mantém o seu firme propósito de defesa do Patrimônio Histórico-Cultural do Schützenverein. 
Nesta perspectiva, o Patrimônio Cultural botafoguense é importante para a compreensão da identidade histórica local, pois é permeada de simbologia e representações, ligadas à memória dos antepassados, que iniciaram essa tradição.
Assim, a atual diretoria, também tem a missão de manter as raízes folclóricas de origem germânica visando não se desarmonizar ou desequilibrar, na organização do evento. Dessa forma, mantêm-se vivos os hábitos e costumes populares do bairro da Barra do Rio Cerro, ligados à festa do tiro ao alvo, tanto masculino e feminino.
Considerando o valor da participação da comunidade e entidades, que congregam esse patrimônio da festa de rei e rainha do tiro ao alvo, muito significativa para Jaraguá do Sul, a diretoria do Botafogo Futebol Clube agradece a todos nos prestigiaram neste 1º de abril, no ano em que o clube completará 68 anos de fundação.

Ein Prösit!



Ademir Pfiffer – Historiador

quinta-feira, 30 de março de 2017

Encerramento do curso de gastronomia no Barg - 05.12.10



Publicado em 24 de mar de 2017
Jaraguá do Sul (SC): Encerramento do curso de gastronomia no Salão Barg , em 05.12.10.
O evento aconteceu na sede social do antigo Salão Barg (Mathias e Voigt), atual Associação Cultural e Recreativa Rio da Luz, o vale do germânico (alemão e pomerano).
O evento contou com chancela da Acstiv e Fundação Cultural de Jaraguá do Sul (SC) e das sociedade dos municípios itapocuenses e vizinhos como, Corupá (Sociedade Hansa Humboldt), Guaramirim (Diana) e Schroeder (Bandeirantes da Estrada Bracinho).
Ademir Pfiffer - Historiador

61 Anos de Emancipação Política de Guaramirim



Publicado em 23 de mar de 2017
O prefeito Nilson Bylaardt, através de sua equipe de trabalho multidisciplinar organizaram em agosto de 2010, o desfile alusivo aos 61 Anos de Emancipação Política de Guaramirim (SC).
As imagens digitais revelam uma cidade em crescente desenvolvimento e, tem nos administradores públicos , o desafio de construir continuas políticas públicas à favor da coletividade.
Dessa forma, compete ao Poder Público, facilitar o acesso à cidadania plena e colaborar na construção da identidade cultural do Município.
Vale ressaltar, que, ainda hoje, os munícipes se ressentem da ausência das políticas públicas para defesa do seu Patrimônio Histórico e Cultural.
O povo que não conhece a sua história, não defende o seu território, pois não terá referências, respeito pelas instituições sociais e culturais.
Ademir Pfiffer - Historiador

Arquivo Histórico Eugênio Victor Schmöckel - 2010 Novo Local



Publicado em 23 de mar de 2017
Era 30 de agosto de 2010, na gestão da prefeita Cecília Ayroso Konell, quando o Arquivo Histórico Eugênio Victor Schmöckel foi instalado num prédio alugado, no bairro Barra do Ribeirão Molha - próximo ao Ribeirão Kramer e o antigo Curtume Schmidt .
Antigamente, a instituição funcionou no atingo prédio da Prefeitura - atual sede do Museu Histórico Emílio da Silva - no prédio da Estação Ferroviária, espaço da instalação atual da Biblioteca Pública Rui Barbosa - Avenida Getúlio Vargas - e na Rua ida Bona, centro, lateral do logradouro da Barrão do Rio Branco.
Ademir Pfiffer - Historiador

Brüderthal: 14.08.2010 - Patrimônio do Schützenverein



As imagens são do evento da manifestação  cultural do Patrimônio do Schützenverein, da comunidade teuto-brasileira do Brüderthal, Município de Guaramirim (SC).
A festa era do casal Arnaldo e Irene Wacholz  Winter - pomerano-brasileiros - moradores de Schroeder I, Município de Schroeder (SC|).
O evento foi musicalizado pela pela Banda Ecco's Band de Schroeder, sendo que um grandioso público compareceu para a sagração das majestades, jantar típico, dança de salão, competições de tiro ao alvo e sagração das novas majestades.
O presidente da entidade associativista é o Senhor Carlito Engelmann, junto a esposa Elvira Moreira Engelmann se desdobram com trabalhos colaborativos a longos anos, para colocar a Sociedade dos Atiradores de Brüderthal a serviço da coletividade, focada em valores.
Ademir Pfiffer - Historiador

quinta-feira, 16 de março de 2017

50 anos do Patrimônio Cultural Sociedade 25 de Julho - Imagens



Publicado em 16 de mar de 2017
No sábado 11 de março, no bairro Jaraguá 99, Município de Jaraguá do Sul (SC) aconteceu a festa de rainha do tiro ao alvo da Senhora Lorena Krüger Krutzsch. O evento marcou o inicio das comemorações dos 50 anos de fundação da Sociedade Esportiva e Desportiva 25 de Julho, entidade defensora do Patrimônio Cultural do Schützenverein.
A corte da Senhora Krutzsch – ela filha de Alex Krüger doador do terreno para construção da sede social – foi completada por, Byanca Luiza Salomon, 1ª princesa, e Sueli Janice Baumann, 2ª princesa.
O evento vespertino iniciou às 14 horas com a concentração das sócias e convidadas, seguido da ritualística folclórica de busca de majestades pelo logradouro da Elisa Trapp Maier, pela Banda Garibaldi Schow .
Na sede social também aconteceu a sessão de homenagem às majestades, competições de tiro ao alvo, café colonial, tarde dançante e proclamações das novas majestades para o evento na estação do verão de 2018.
A Sociedade 25 de Julho completará em julho o seu jubileu de ouro dos 50 anos de fundação. A missão institucional é a difusão de salvaguardar o Patrimônio Cultural do Schützenverein.
Ao longo dessa história associativista os colonizadores pomeranos, alemães e suábio-húngaros organizaram esta entidade para o seu lazer social e cultural, para venerar o respeito à memória dos antepassados, que trouxeram do Europa ao Jaraguá 99, a sua visão de mundo, sociedade e trabalho.
Construir e manter o Patrimônio do Schützenverein ao longo dos 50 anos exigiu renúncia ao modismo, planejamento e organização pelo bem coletivo visando superar os desafios para driblar as crises políticas, econômicas e culturais, que interferem na organização associativista e de caráter comunitária.
Dona Lorena e o esposo Irineu Krutzsch, moradores do bairro Ilha Figueira atraíram ao evento centenas de convidados de diversas sociedades, como Aliança, Barg, Guarani, Ribeirão Grande da Luz, Botafogo, Brüderthal, Onze União, Independência, outras. 
Assim, o evento foi marcado pelo o propósito de reunir a comunidade e uma legião de simpatizantes desta cultura remanescente, pois o movimento cultural é significativo para construção da identidade e conhecimento dos bens de Jaraguá do Sul.
Dessa forma é oportuno organizar o registro desse Patrimônio Cultural Brasileiro permeado pela cultura germânica e pela sua importância etnográfica e folclórica.
No Brasil atual a ordem é crescer, unir e vencer os desafios, que neste terceiro milênio são marcados pelo fenômeno da globalização e os desmantelamentos das culturas localizadas.
Ein prösit, Schützenverein, 25 de Julho!

Ademir Pfiffer – Historiador

domingo, 12 de março de 2017

50 anos do Patrimônio Cultural Sociedade 25 de Julho - 09



Publicado em 12 de mar de 2017
No sábado 11 de março, no bairro Jaraguá 99, Município de Jaraguá do Sul (SC) aconteceu a festa de rainha do tiro ao alvo da Senhora Lorena Krüger Krutzsch. O evento marcou o inicio das comemorações dos 50 anos de fundação da Sociedade Esportiva e Desportiva 25 de Julho, entidade defensora do Patrimônio Cultural do Schützenverein.
A corte da Senhora Krutzsch – ela filha de Alex Krüger doador do terreno para construção da sede social – foi completada por, Byanca Luiza Salomon, 1ª princesa, e Sueli Janice Baumann, 2ª princesa.
O evento vespertino iniciou às 14 horas com a concentração das sócias e convidadas, seguido da ritualística folclórica de busca de majestades pelo logradouro da Elisa Trapp Maier, pela Banda Garibaldi Schow .
Na sede social também aconteceu a sessão de homenagem às majestades, competições de tiro ao alvo, café colonial, tarde dançante e proclamações das novas majestades para o evento na estação do verão de 2018.
A Sociedade 25 de Julho completará em julho o seu jubileu de ouro dos 50 anos de fundação. A missão institucional é a difusão de salvaguardar o Patrimônio Cultural do Schützenverein.
Ao longo dessa história associativista os colonizadores pomeranos, alemães e suábio-húngaros organizaram esta entidade para o seu lazer social e cultural, para venerar o respeito à memória dos antepassados, que trouxeram do Europa ao Jaraguá 99, a sua visão de mundo, sociedade e trabalho.
Construir e manter o Patrimônio do Schützenverein ao longo dos 50 anos exigiu renúncia ao modismo, planejamento e organização pelo bem coletivo visando superar os desafios para driblar as crises políticas, econômicas e culturais, que interferem na organização associativista e de caráter comunitária.
Dona Lorena e o esposo Irineu Krutzsch, moradores do bairro Ilha Figueira atraíram ao evento centenas de convidados de diversas sociedades, como Aliança, Barg, Guarani, Ribeirão Grande da Luz, Botafogo, Brüderthal, Onze União, Independência, outras. 
Assim, o evento foi marcado pelo o propósito de reunir a comunidade e uma legião de simpatizantes desta cultura remanescente, pois o movimento cultural é significativo para construção da identidade e conhecimento dos bens de Jaraguá do Sul.
Dessa forma é oportuno organizar o registro desse Patrimônio Cultural Brasileiro permeado pela cultura germânica e pela sua importância etnográfica e folclórica.
No Brasil atual a ordem é crescer, unir e vencer os desafios, que neste terceiro milênio são marcados pelo fenômeno da globalização e os desmantelamentos das culturas localizadas.
Ein prösit, Schützenverein, 25 de Julho!

Ademir Pfiffer – Historiador

50 anos do Patrimônio Cultural Sociedade 25 de Julho - 08



Publicado em 12 de mar de 2017
No sábado 11 de março, no bairro Jaraguá 99, Município de Jaraguá do Sul (SC) aconteceu a festa de rainha do tiro ao alvo da Senhora Lorena Krüger Krutzsch. O evento marcou o inicio das comemorações dos 50 anos de fundação da Sociedade Esportiva e Desportiva 25 de Julho, entidade defensora do Patrimônio Cultural do Schützenverein.
A corte da Senhora Krutzsch – ela filha de Alex Krüger doador do terreno para construção da sede social – foi completada por, Byanca Luiza Salomon, 1ª princesa, e Sueli Janice Baumann, 2ª princesa.
O evento vespertino iniciou às 14 horas com a concentração das sócias e convidadas, seguido da ritualística folclórica de busca de majestades pelo logradouro da Elisa Trapp Maier, pela Banda Garibaldi Schow .
Na sede social também aconteceu a sessão de homenagem às majestades, competições de tiro ao alvo, café colonial, tarde dançante e proclamações das novas majestades para o evento na estação do verão de 2018.
A Sociedade 25 de Julho completará em julho o seu jubileu de ouro dos 50 anos de fundação. A missão institucional é a difusão de salvaguardar o Patrimônio Cultural do Schützenverein.
Ao longo dessa história associativista os colonizadores pomeranos, alemães e suábio-húngaros organizaram esta entidade para o seu lazer social e cultural, para venerar o respeito à memória dos antepassados, que trouxeram do Europa ao Jaraguá 99, a sua visão de mundo, sociedade e trabalho.
Construir e manter o Patrimônio do Schützenverein ao longo dos 50 anos exigiu renúncia ao modismo, planejamento e organização pelo bem coletivo visando superar os desafios para driblar as crises políticas, econômicas e culturais, que interferem na organização associativista e de caráter comunitária.
Dona Lorena e o esposo Irineu Krutzsch, moradores do bairro Ilha Figueira atraíram ao evento centenas de convidados de diversas sociedades, como Aliança, Barg, Guarani, Ribeirão Grande da Luz, Botafogo, Brüderthal, Onze União, Independência, outras. 
Assim, o evento foi marcado pelo o propósito de reunir a comunidade e uma legião de simpatizantes desta cultura remanescente, pois o movimento cultural é significativo para construção da identidade e conhecimento dos bens de Jaraguá do Sul.
Dessa forma é oportuno organizar o registro desse Patrimônio Cultural Brasileiro permeado pela cultura germânica e pela sua importância etnográfica e folclórica.
No Brasil atual a ordem é crescer, unir e vencer os desafios, que neste terceiro milênio são marcados pelo fenômeno da globalização e os desmantelamentos das culturas localizadas.
Ein prösit, Schützenverein, 25 de Julho!

Ademir Pfiffer – Historiador

50 anos do Patrimônio Cultural Sociedade 25 de Julho - 07



Publicado em 12 de mar de 2017
No sábado 11 de março, no bairro Jaraguá 99, Município de Jaraguá do Sul (SC) aconteceu a festa de rainha do tiro ao alvo da Senhora Lorena Krüger Krutzsch. O evento marcou o inicio das comemorações dos 50 anos de fundação da Sociedade Esportiva e Desportiva 25 de Julho, entidade defensora do Patrimônio Cultural do Schützenverein.
A corte da Senhora Krutzsch – ela filha de Alex Krüger doador do terreno para construção da sede social – foi completada por, Byanca Luiza Salomon, 1ª princesa, e Sueli Janice Baumann, 2ª princesa.
O evento vespertino iniciou às 14 horas com a concentração das sócias e convidadas, seguido da ritualística folclórica de busca de majestades pelo logradouro da Elisa Trapp Maier, pela Banda Garibaldi Schow .
Na sede social também aconteceu a sessão de homenagem às majestades, competições de tiro ao alvo, café colonial, tarde dançante e proclamações das novas majestades para o evento na estação do verão de 2018.
A Sociedade 25 de Julho completará em julho o seu jubileu de ouro dos 50 anos de fundação. A missão institucional é a difusão de salvaguardar o Patrimônio Cultural do Schützenverein.
Ao longo dessa história associativista os colonizadores pomeranos, alemães e suábio-húngaros organizaram esta entidade para o seu lazer social e cultural, para venerar o respeito à memória dos antepassados, que trouxeram do Europa ao Jaraguá 99, a sua visão de mundo, sociedade e trabalho.
Construir e manter o Patrimônio do Schützenverein ao longo dos 50 anos exigiu renúncia ao modismo, planejamento e organização pelo bem coletivo visando superar os desafios para driblar as crises políticas, econômicas e culturais, que interferem na organização associativista e de caráter comunitária.
Dona Lorena e o esposo Irineu Krutzsch, moradores do bairro Ilha Figueira atraíram ao evento centenas de convidados de diversas sociedades, como Aliança, Barg, Guarani, Ribeirão Grande da Luz, Botafogo, Brüderthal, Onze União, Independência, outras. 
Assim, o evento foi marcado pelo o propósito de reunir a comunidade e uma legião de simpatizantes desta cultura remanescente, pois o movimento cultural é significativo para construção da identidade e conhecimento dos bens de Jaraguá do Sul.
Dessa forma é oportuno organizar o registro desse Patrimônio Cultural Brasileiro permeado pela cultura germânica e pela sua importância etnográfica e folclórica.
No Brasil atual a ordem é crescer, unir e vencer os desafios, que neste terceiro milênio são marcados pelo fenômeno da globalização e os desmantelamentos das culturas localizadas.
Ein prösit, Schützenverein, 25 de Julho!

Ademir Pfiffer – Historiador

50 anos do Patrimônio Cultural Sociedade 25 de Julho - 06



Publicado em 12 de mar de 2017
No sábado 11 de março, no bairro Jaraguá 99, Município de Jaraguá do Sul (SC) aconteceu a festa de rainha do tiro ao alvo da Senhora Lorena Krüger Krutzsch. O evento marcou o inicio das comemorações dos 50 anos de fundação da Sociedade Esportiva e Desportiva 25 de Julho, entidade defensora do Patrimônio Cultural do Schützenverein.
A corte da Senhora Krutzsch – ela filha de Alex Krüger doador do terreno para construção da sede social – foi completada por, Byanca Luiza Salomon, 1ª princesa, e Sueli Janice Baumann, 2ª princesa.
O evento vespertino iniciou às 14 horas com a concentração das sócias e convidadas, seguido da ritualística folclórica de busca de majestades pelo logradouro da Elisa Trapp Maier, pela Banda Garibaldi Schow .
Na sede social também aconteceu a sessão de homenagem às majestades, competições de tiro ao alvo, café colonial, tarde dançante e proclamações das novas majestades para o evento na estação do verão de 2018.
A Sociedade 25 de Julho completará em julho o seu jubileu de ouro dos 50 anos de fundação. A missão institucional é a difusão de salvaguardar o Patrimônio Cultural do Schützenverein.
Ao longo dessa história associativista os colonizadores pomeranos, alemães e suábio-húngaros organizaram esta entidade para o seu lazer social e cultural, para venerar o respeito à memória dos antepassados, que trouxeram do Europa ao Jaraguá 99, a sua visão de mundo, sociedade e trabalho.
Construir e manter o Patrimônio do Schützenverein ao longo dos 50 anos exigiu renúncia ao modismo, planejamento e organização pelo bem coletivo visando superar os desafios para driblar as crises políticas, econômicas e culturais, que interferem na organização associativista e de caráter comunitária.
Dona Lorena e o esposo Irineu Krutzsch, moradores do bairro Ilha Figueira atraíram ao evento centenas de convidados de diversas sociedades, como Aliança, Barg, Guarani, Ribeirão Grande da Luz, Botafogo, Brüderthal, Onze União, Independência, outras. 
Assim, o evento foi marcado pelo o propósito de reunir a comunidade e uma legião de simpatizantes desta cultura remanescente, pois o movimento cultural é significativo para construção da identidade e conhecimento dos bens de Jaraguá do Sul.
Dessa forma é oportuno organizar o registro desse Patrimônio Cultural Brasileiro permeado pela cultura germânica e pela sua importância etnográfica e folclórica.
No Brasil atual a ordem é crescer, unir e vencer os desafios, que neste terceiro milênio são marcados pelo fenômeno da globalização e os desmantelamentos das culturas localizadas.
Ein prösit, Schützenverein, 25 de Julho!

Ademir Pfiffer – Historiador

50 anos do Patrimônio Cultural Sociedade 25 de Julho - 05



Publicado em 12 de mar de 2017
No sábado 11 de março, no bairro Jaraguá 99, Município de Jaraguá do Sul (SC) aconteceu a festa de rainha do tiro ao alvo da Senhora Lorena Krüger Krutzsch. O evento marcou o inicio das comemorações dos 50 anos de fundação da Sociedade Esportiva e Desportiva 25 de Julho, entidade defensora do Patrimônio Cultural do Schützenverein.
A corte da Senhora Krutzsch – ela filha de Alex Krüger doador do terreno para construção da sede social – foi completada por, Byanca Luiza Salomon, 1ª princesa, e Sueli Janice Baumann, 2ª princesa.
O evento vespertino iniciou às 14 horas com a concentração das sócias e convidadas, seguido da ritualística folclórica de busca de majestades pelo logradouro da Elisa Trapp Maier, pela Banda Garibaldi Schow .
Na sede social também aconteceu a sessão de homenagem às majestades, competições de tiro ao alvo, café colonial, tarde dançante e proclamações das novas majestades para o evento na estação do verão de 2018.
A Sociedade 25 de Julho completará em julho o seu jubileu de ouro dos 50 anos de fundação. A missão institucional é a difusão de salvaguardar o Patrimônio Cultural do Schützenverein.
Ao longo dessa história associativista os colonizadores pomeranos, alemães e suábio-húngaros organizaram esta entidade para o seu lazer social e cultural, para venerar o respeito à memória dos antepassados, que trouxeram do Europa ao Jaraguá 99, a sua visão de mundo, sociedade e trabalho.
Construir e manter o Patrimônio do Schützenverein ao longo dos 50 anos exigiu renúncia ao modismo, planejamento e organização pelo bem coletivo visando superar os desafios para driblar as crises políticas, econômicas e culturais, que interferem na organização associativista e de caráter comunitária.
Dona Lorena e o esposo Irineu Krutzsch, moradores do bairro Ilha Figueira atraíram ao evento centenas de convidados de diversas sociedades, como Aliança, Barg, Guarani, Ribeirão Grande da Luz, Botafogo, Brüderthal, Onze União, Independência, outras. 
Assim, o evento foi marcado pelo o propósito de reunir a comunidade e uma legião de simpatizantes desta cultura remanescente, pois o movimento cultural é significativo para construção da identidade e conhecimento dos bens de Jaraguá do Sul.
Dessa forma é oportuno organizar o registro desse Patrimônio Cultural Brasileiro permeado pela cultura germânica e pela sua importância etnográfica e folclórica.
No Brasil atual a ordem é crescer, unir e vencer os desafios, que neste terceiro milênio são marcados pelo fenômeno da globalização e os desmantelamentos das culturas localizadas.
Ein prösit, Schützenverein, 25 de Julho!

Ademir Pfiffer – Historiador

50 anos do Patrimônio Cultural Sociedade 25 de Julho - 04



Publicado em 12 de mar de 2017
No sábado 11 de março, no bairro Jaraguá 99, Município de Jaraguá do Sul (SC) aconteceu a festa de rainha do tiro ao alvo da Senhora Lorena Krüger Krutzsch. O evento marcou o inicio das comemorações dos 50 anos de fundação da Sociedade Esportiva e Desportiva 25 de Julho, entidade defensora do Patrimônio Cultural do Schützenverein.
A corte da Senhora Krutzsch – ela filha de Alex Krüger doador do terreno para construção da sede social – foi completada por, Byanca Luiza Salomon, 1ª princesa, e Sueli Janice Baumann, 2ª princesa.
O evento vespertino iniciou às 14 horas com a concentração das sócias e convidadas, seguido da ritualística folclórica de busca de majestades pelo logradouro da Elisa Trapp Maier, pela Banda Garibaldi Schow .
Na sede social também aconteceu a sessão de homenagem às majestades, competições de tiro ao alvo, café colonial, tarde dançante e proclamações das novas majestades para o evento na estação do verão de 2018.
A Sociedade 25 de Julho completará em julho o seu jubileu de ouro dos 50 anos de fundação. A missão institucional é a difusão de salvaguardar o Patrimônio Cultural do Schützenverein.
Ao longo dessa história associativista os colonizadores pomeranos, alemães e suábio-húngaros organizaram esta entidade para o seu lazer social e cultural, para venerar o respeito à memória dos antepassados, que trouxeram do Europa ao Jaraguá 99, a sua visão de mundo, sociedade e trabalho.
Construir e manter o Patrimônio do Schützenverein ao longo dos 50 anos exigiu renúncia ao modismo, planejamento e organização pelo bem coletivo visando superar os desafios para driblar as crises políticas, econômicas e culturais, que interferem na organização associativista e de caráter comunitária.
Dona Lorena e o esposo Irineu Krutzsch, moradores do bairro Ilha Figueira atraíram ao evento centenas de convidados de diversas sociedades, como Aliança, Barg, Guarani, Ribeirão Grande da Luz, Botafogo, Brüderthal, Onze União, Independência, outras. 
Assim, o evento foi marcado pelo o propósito de reunir a comunidade e uma legião de simpatizantes desta cultura remanescente, pois o movimento cultural é significativo para construção da identidade e conhecimento dos bens de Jaraguá do Sul.
Dessa forma é oportuno organizar o registro desse Patrimônio Cultural Brasileiro permeado pela cultura germânica e pela sua importância etnográfica e folclórica.
No Brasil atual a ordem é crescer, unir e vencer os desafios, que neste terceiro milênio são marcados pelo fenômeno da globalização e os desmantelamentos das culturas localizadas.
Ein prösit, Schützenverein, 25 de Julho!

Ademir Pfiffer – Historiador

50 anos do Patrimônio Cultural Sociedade 25 de Julho - 03



Publicado em 12 de mar de 2017
No sábado 11 de março, no bairro Jaraguá 99, Município de Jaraguá do Sul (SC) aconteceu a festa de rainha do tiro ao alvo da Senhora Lorena Krüger Krutzsch. O evento marcou o inicio das comemorações dos 50 anos de fundação da Sociedade Esportiva e Desportiva 25 de Julho, entidade defensora do Patrimônio Cultural do Schützenverein.
A corte da Senhora Krutzsch – ela filha de Alex Krüger doador do terreno para construção da sede social – foi completada por, Byanca Luiza Salomon, 1ª princesa, e Sueli Janice Baumann, 2ª princesa.
O evento vespertino iniciou às 14 horas com a concentração das sócias e convidadas, seguido da ritualística folclórica de busca de majestades pelo logradouro da Elisa Trapp Maier, pela Banda Garibaldi Schow .
Na sede social também aconteceu a sessão de homenagem às majestades, competições de tiro ao alvo, café colonial, tarde dançante e proclamações das novas majestades para o evento na estação do verão de 2018.
A Sociedade 25 de Julho completará em julho o seu jubileu de ouro dos 50 anos de fundação. A missão institucional é a difusão de salvaguardar o Patrimônio Cultural do Schützenverein.
Ao longo dessa história associativista os colonizadores pomeranos, alemães e suábio-húngaros organizaram esta entidade para o seu lazer social e cultural, para venerar o respeito à memória dos antepassados, que trouxeram do Europa ao Jaraguá 99, a sua visão de mundo, sociedade e trabalho.
Construir e manter o Patrimônio do Schützenverein ao longo dos 50 anos exigiu renúncia ao modismo, planejamento e organização pelo bem coletivo visando superar os desafios para driblar as crises políticas, econômicas e culturais, que interferem na organização associativista e de caráter comunitária.
Dona Lorena e o esposo Irineu Krutzsch, moradores do bairro Ilha Figueira atraíram ao evento centenas de convidados de diversas sociedades, como Aliança, Barg, Guarani, Ribeirão Grande da Luz, Botafogo, Brüderthal, Onze União, Independência, outras. 
Assim, o evento foi marcado pelo o propósito de reunir a comunidade e uma legião de simpatizantes desta cultura remanescente, pois o movimento cultural é significativo para construção da identidade e conhecimento dos bens de Jaraguá do Sul.
Dessa forma é oportuno organizar o registro desse Patrimônio Cultural Brasileiro permeado pela cultura germânica e pela sua importância etnográfica e folclórica.
No Brasil atual a ordem é crescer, unir e vencer os desafios, que neste terceiro milênio são marcados pelo fenômeno da globalização e os desmantelamentos das culturas localizadas.
Ein prösit, Schützenverein, 25 de Julho!

Ademir Pfiffer – Historiador

50 anos do Patrimônio Cultural Sociedade 25 de Julho - 02



Publicado em 12 de mar de 2017
No sábado 11 de março, no bairro Jaraguá 99, Município de Jaraguá do Sul (SC) aconteceu a festa de rainha do tiro ao alvo da Senhora Lorena Krüger Krutzsch. O evento marcou o inicio das comemorações dos 50 anos de fundação da Sociedade Esportiva e Desportiva 25 de Julho, entidade defensora do Patrimônio Cultural do Schützenverein.
A corte da Senhora Krutzsch – ela filha de Alex Krüger doador do terreno para construção da sede social – foi completada por, Byanca Luiza Salomon, 1ª princesa, e Sueli Janice Baumann, 2ª princesa.
O evento vespertino iniciou às 14 horas com a concentração das sócias e convidadas, seguido da ritualística folclórica de busca de majestades pelo logradouro da Elisa Trapp Maier, pela Banda Garibaldi Schow .
Na sede social também aconteceu a sessão de homenagem às majestades, competições de tiro ao alvo, café colonial, tarde dançante e proclamações das novas majestades para o evento na estação do verão de 2018.
A Sociedade 25 de Julho completará em julho o seu jubileu de ouro dos 50 anos de fundação. A missão institucional é a difusão de salvaguardar o Patrimônio Cultural do Schützenverein.
Ao longo dessa história associativista os colonizadores pomeranos, alemães e suábio-húngaros organizaram esta entidade para o seu lazer social e cultural, para venerar o respeito à memória dos antepassados, que trouxeram do Europa ao Jaraguá 99, a sua visão de mundo, sociedade e trabalho.
Construir e manter o Patrimônio do Schützenverein ao longo dos 50 anos exigiu renúncia ao modismo, planejamento e organização pelo bem coletivo visando superar os desafios para driblar as crises políticas, econômicas e culturais, que interferem na organização associativista e de caráter comunitária.
Dona Lorena e o esposo Irineu Krutzsch, moradores do bairro Ilha Figueira atraíram ao evento centenas de convidados de diversas sociedades, como Aliança, Barg, Guarani, Ribeirão Grande da Luz, Botafogo, Brüderthal, Onze União, Independência, outras. 
Assim, o evento foi marcado pelo o propósito de reunir a comunidade e uma legião de simpatizantes desta cultura remanescente, pois o movimento cultural é significativo para construção da identidade e conhecimento dos bens de Jaraguá do Sul.
Dessa forma é oportuno organizar o registro desse Patrimônio Cultural Brasileiro permeado pela cultura germânica e pela sua importância etnográfica e folclórica.
No Brasil atual a ordem é crescer, unir e vencer os desafios, que neste terceiro milênio são marcados pelo fenômeno da globalização e os desmantelamentos das culturas localizadas.
Ein prösit, Schützenverein, 25 de Julho!

Ademir Pfiffer – Historiador

50 anos do Patrimônio Cultural Sociedade 25 de Julho - 01




Publicado em 12 de mar de 2017
No sábado 11 de março, no bairro Jaraguá 99, Município de Jaraguá do Sul (SC) aconteceu a festa de rainha do tiro ao alvo da Senhora Lorena Krüger Krutzsch. O evento marcou o inicio das comemorações dos 50 anos de fundação da Sociedade Esportiva e Desportiva 25 de Julho, entidade defensora do Patrimônio Cultural do Schützenverein.
A corte da Senhora Krutzsch – ela filha de Alex Krüger doador do terreno para construção da sede social – foi completada por, Byanca Luiza Salomon, 1ª princesa, e Sueli Janice Baumann, 2ª princesa.
O evento vespertino iniciou às 14 horas com a concentração das sócias e convidadas, seguido da ritualística folclórica de busca de majestades pelo logradouro da Elisa Trapp Maier, pela Banda Garibaldi Schow .
Na sede social também aconteceu a sessão de homenagem às majestades, competições de tiro ao alvo, café colonial, tarde dançante e proclamações das novas majestades para o evento na estação do verão de 2018.
A Sociedade 25 de Julho completará em julho o seu jubileu de ouro dos 50 anos de fundação. A missão institucional é a difusão de salvaguardar o Patrimônio Cultural do Schützenverein.
Ao longo dessa história associativista os colonizadores pomeranos, alemães e suábio-húngaros organizaram esta entidade para o seu lazer social e cultural, para venerar o respeito à memória dos antepassados, que trouxeram do Europa ao Jaraguá 99, a sua visão de mundo, sociedade e trabalho.
Construir e manter o Patrimônio do Schützenverein ao longo dos 50 anos exigiu renúncia ao modismo, planejamento e organização pelo bem coletivo visando superar os desafios para driblar as crises políticas, econômicas e culturais, que interferem na organização associativista e de caráter comunitária.
Dona Lorena e o esposo Irineu Krutzsch, moradores do bairro Ilha Figueira atraíram ao evento centenas de convidados de diversas sociedades, como Aliança, Barg, Guarani, Ribeirão Grande da Luz, Botafogo, Brüderthal, Onze União, Independência, outras. 
Assim, o evento foi marcado pelo o propósito de reunir a comunidade e uma legião de simpatizantes desta cultura remanescente, pois o movimento cultural é significativo para construção da identidade e conhecimento dos bens de Jaraguá do Sul.
Dessa forma é oportuno organizar o registro desse Patrimônio Cultural Brasileiro permeado pela cultura germânica e pela sua importância etnográfica e folclórica.
No Brasil atual a ordem é crescer, unir e vencer os desafios, que neste terceiro milênio são marcados pelo fenômeno da globalização e os desmantelamentos das culturas localizadas.
Ein prösit, Schützenverein, 25 de Julho!

Ademir Pfiffer – Historiador


quarta-feira, 8 de março de 2017

Sociedade Recreativa Aliança: tradição do schützenverein - Imagens



Publicado em 8 de mar de 2017
A cultura remanescente do patrimônio do schützenverein continua sendo a referencia mais significativa do lazer social e cultural do Rio Cerro II, Município de Jaraguá do Sul (SC).
No sábado, 04 de março aconteceu o evento da festa do tiro rei das majestades, Hilário Modro, rei; Rafael Schroeder, 1º cavalheiro e Marjon Grützmacher, 2º cavalheiro. 
A Banda Safira do Estado do Rio Grande do Sul abrilhantou o evento germânico, e paralelo aconteceram as disputas das novas majestades para a estação do verão de 2018.
Um café colonial a base das iguarias típicas da tradição germânica foi o cardápio da tarde. A mesma se desenvolveu desde a chegada dos colonizadores.
A organização do café colonial foi de plena dedicação, através de uma equipe que se empenhou para servir uma variedade de iguarias. Destaque foram os pães empastados ( linguiça, kockesse, Hering broth), cucas, bolos, pastelão, outros.
É importante refletir, que, o patrimônio cultural e histórico de Rio Cerro, não é isolado, mas ele se desenvolveu através de uma rede de conexões ao longo do século XX. Assim, o povo rio cerrense expressa nas suas manifestações culturais (material e imaterial), os hábitos e costumes, que afirmam a identidade histórica daquela comunidade remanescente de alemães e pomeranos.
Ao finalizar o evento, o comandante, Gerson Hornburg e os demais membros da diretoria expressaram o sentimento de pertencimento das famílias das majestades. Não faltou os agradecimentos pela organização do evento, que reuniu os associados, convidados e simpatizantes desta tradição, que neste terceiro milênio continua presente na comunidade, renovando-se, mas sem perder sua essência, os indicadores da cultura germânica.

Ademir Pfiffer – Historiador

segunda-feira, 6 de março de 2017

Sociedade Recreativa Aliança: tradição do schützenverein - 06



Publicado em 6 de mar de 2017
A cultura remanescente do patrimônio do schützenverein continua sendo a referencia mais significativa do lazer social e cultural do Rio Cerro II, Município de Jaraguá do Sul (SC).
No sábado, 04 de março aconteceu o evento da festa do tiro rei das majestades, Hilário Modro, rei; Rafael Schroeder, 1º cavalheiro e Marjon Grützmacher, 2º cavalheiro. 
A Banda Safira do Estado do Rio Grande do Sul abrilhantou o evento germânico, e paralelo aconteceram as disputas das novas majestades para a estação do verão de 2018.
Um café colonial a base das iguarias típicas da tradição germânica foi o cardápio da tarde. A mesma se desenvolveu desde a chegada dos colonizadores.
A organização do café colonial foi de plena dedicação, através de uma equipe que se empenhou para servir uma variedade de iguarias. Destaque foram os pães empastados ( linguiça, kockesse, Hering broth), cucas, bolos, pastelão, outros.
É importante refletir, que, o patrimônio cultural e histórico de Rio Cerro, não é isolado, mas ele se desenvolveu através de uma rede de conexões ao longo do século XX. Assim, o povo rio cerrense expressa nas suas manifestações culturais (material e imaterial), os hábitos e costumes, que afirmam a identidade histórica daquela comunidade remanescente de alemães e pomeranos.
Ao finalizar o evento, o comandante, Gerson Hornburg e os demais membros da diretoria expressaram o sentimento de pertencimento das famílias das majestades. Não faltou os agradecimentos pela organização do evento, que reuniu os associados, convidados e simpatizantes desta tradição, que neste terceiro milênio continua presente na comunidade, renovando-se, mas sem perder sua essência, os indicadores da cultura germânica.

Ademir Pfiffer – Historiador

Sociedade Recreativa Aliança: tradição do schützenverein - 05



Publicado em 6 de mar de 2017
A cultura remanescente do patrimônio do schützenverein continua sendo a referencia mais significativa do lazer social e cultural do Rio Cerro II, Município de Jaraguá do Sul (SC).
No sábado, 04 de março aconteceu o evento da festa do tiro rei das majestades, Hilário Modro, rei; Rafael Schroeder, 1º cavalheiro e Marjon Grützmacher, 2º cavalheiro. 
A Banda Safira do Estado do Rio Grande do Sul abrilhantou o evento germânico, e paralelo aconteceram as disputas das novas majestades para a estação do verão de 2018.
Um café colonial a base das iguarias típicas da tradição germânica foi o cardápio da tarde. A mesma se desenvolveu desde a chegada dos colonizadores.
A organização do café colonial foi de plena dedicação, através de uma equipe que se empenhou para servir uma variedade de iguarias. Destaque foram os pães empastados ( linguiça, kockesse, Hering broth), cucas, bolos, pastelão, outros.
É importante refletir, que, o patrimônio cultural e histórico de Rio Cerro, não é isolado, mas ele se desenvolveu através de uma rede de conexões ao longo do século XX. Assim, o povo rio cerrense expressa nas suas manifestações culturais (material e imaterial), os hábitos e costumes, que afirmam a identidade histórica daquela comunidade remanescente de alemães e pomeranos.
Ao finalizar o evento, o comandante, Gerson Hornburg e os demais membros da diretoria expressaram o sentimento de pertencimento das famílias das majestades. Não faltou os agradecimentos pela organização do evento, que reuniu os associados, convidados e simpatizantes desta tradição, que neste terceiro milênio continua presente na comunidade, renovando-se, mas sem perder sua essência, os indicadores da cultura germânica.

Ademir Pfiffer – Historiador

Sociedade Recreativa Aliança: tradição do schützenverein - 04



Publicado em 6 de mar de 2017
A cultura remanescente do patrimônio do schützenverein continua sendo a referencia mais significativa do lazer social e cultural do Rio Cerro II, Município de Jaraguá do Sul (SC).
No sábado, 04 de março aconteceu o evento da festa do tiro rei das majestades, Hilário Modro, rei; Rafael Schroeder, 1º cavalheiro e Marjon Grützmacher, 2º cavalheiro. 
A Banda Safira do Estado do Rio Grande do Sul abrilhantou o evento germânico, e paralelo aconteceram as disputas das novas majestades para a estação do verão de 2018.
Um café colonial a base das iguarias típicas da tradição germânica foi o cardápio da tarde. A mesma se desenvolveu desde a chegada dos colonizadores.
A organização do café colonial foi de plena dedicação, através de uma equipe que se empenhou para servir uma variedade de iguarias. Destaque foram os pães empastados ( linguiça, kockesse, Hering broth), cucas, bolos, pastelão, outros.
É importante refletir, que, o patrimônio cultural e histórico de Rio Cerro, não é isolado, mas ele se desenvolveu através de uma rede de conexões ao longo do século XX. Assim, o povo rio cerrense expressa nas suas manifestações culturais (material e imaterial), os hábitos e costumes, que afirmam a identidade histórica daquela comunidade remanescente de alemães e pomeranos.
Ao finalizar o evento, o comandante, Gerson Hornburg e os demais membros da diretoria expressaram o sentimento de pertencimento das famílias das majestades. Não faltou os agradecimentos pela organização do evento, que reuniu os associados, convidados e simpatizantes desta tradição, que neste terceiro milênio continua presente na comunidade, renovando-se, mas sem perder sua essência, os indicadores da cultura germânica.

Ademir Pfiffer – Historiador

Sociedade Recreativa Aliança: tradição do schützenverein - 03



Publicado em 6 de mar de 2017
A cultura remanescente do patrimônio do schützenverein continua sendo a referencia mais significativa do lazer social e cultural do Rio Cerro II, Município de Jaraguá do Sul (SC).
No sábado, 04 de março aconteceu o evento da festa do tiro rei das majestades, Hilário Modro, rei; Rafael Schroeder, 1º cavalheiro e Marjon Grützmacher, 2º cavalheiro. 
A Banda Safira do Estado do Rio Grande do Sul abrilhantou o evento germânico, e paralelo aconteceram as disputas das novas majestades para a estação do verão de 2018.
Um café colonial a base das iguarias típicas da tradição germânica foi o cardápio da tarde. A mesma se desenvolveu desde a chegada dos colonizadores.
A organização do café colonial foi de plena dedicação, através de uma equipe que se empenhou para servir uma variedade de iguarias. Destaque foram os pães empastados ( linguiça, kockesse, Hering broth), cucas, bolos, pastelão, outros.
É importante refletir, que, o patrimônio cultural e histórico de Rio Cerro, não é isolado, mas ele se desenvolveu através de uma rede de conexões ao longo do século XX. Assim, o povo rio cerrense expressa nas suas manifestações culturais (material e imaterial), os hábitos e costumes, que afirmam a identidade histórica daquela comunidade remanescente de alemães e pomeranos.
Ao finalizar o evento, o comandante, Gerson Hornburg e os demais membros da diretoria expressaram o sentimento de pertencimento das famílias das majestades. Não faltou os agradecimentos pela organização do evento, que reuniu os associados, convidados e simpatizantes desta tradição, que neste terceiro milênio continua presente na comunidade, renovando-se, mas sem perder sua essência, os indicadores da cultura germânica.

Ademir Pfiffer – Historiador

Sociedade Recreativa Aliança: tradição do schützenverein - 02



Publicado em 6 de mar de 2017
A cultura remanescente do patrimônio do schützenverein continua sendo a referencia mais significativa do lazer social e cultural do Rio Cerro II, Município de Jaraguá do Sul (SC).
No sábado, 04 de março aconteceu o evento da festa do tiro rei das majestades, Hilário Modro, rei; Rafael Schroeder, 1º cavalheiro e Marjon Grützmacher, 2º cavalheiro. 
A Banda Safira do Estado do Rio Grande do Sul abrilhantou o evento germânico, e paralelo aconteceram as disputas das novas majestades para a estação do verão de 2018.
Um café colonial a base das iguarias típicas da tradição germânica foi o cardápio da tarde. A mesma se desenvolveu desde a chegada dos colonizadores.
A organização do café colonial foi de plena dedicação, através de uma equipe que se empenhou para servir uma variedade de iguarias. Destaque foram os pães empastados ( linguiça, kockesse, Hering broth), cucas, bolos, pastelão, outros.
É importante refletir, que, o patrimônio cultural e histórico de Rio Cerro, não é isolado, mas ele se desenvolveu através de uma rede de conexões ao longo do século XX. Assim, o povo rio cerrense expressa nas suas manifestações culturais (material e imaterial), os hábitos e costumes, que afirmam a identidade histórica daquela comunidade remanescente de alemães e pomeranos.
Ao finalizar o evento, o comandante, Gerson Hornburg e os demais membros da diretoria expressaram o sentimento de pertencimento das famílias das majestades. Não faltou os agradecimentos pela organização do evento, que reuniu os associados, convidados e simpatizantes desta tradição, que neste terceiro milênio continua presente na comunidade, renovando-se, mas sem perder sua essência, os indicadores da cultura germânica.

Ademir Pfiffer – Historiador

Sociedade Recreativa Aliança: tradição do schützenverein - 01



Publicado em 6 de mar de 2017
A cultura remanescente do patrimônio do schützenverein continua sendo a referencia mais significativa do lazer social e cultural do Rio Cerro II, Município de Jaraguá do Sul (SC).
No sábado, 04 de março aconteceu o evento da festa do tiro rei das majestades, Hilário Modro, rei; Rafael Schroeder, 1º cavalheiro e Marjon Grützmacher, 2º cavalheiro. 
A Banda Safira do Estado do Rio Grande do Sul abrilhantou o evento germânico, e paralelo aconteceram as disputas das novas majestades para a estação do verão de 2018.
Um café colonial a base das iguarias típicas da tradição germânica foi o cardápio da tarde. A mesma se desenvolveu desde a chegada dos colonizadores.
A organização do café colonial foi de plena dedicação, através de uma equipe que se empenhou para servir uma variedade de iguarias. Destaque foram os pães empastados ( linguiça, kockesse, Hering broth), cucas, bolos, pastelão, outros.
É importante refletir, que, o patrimônio cultural e histórico de Rio Cerro, não é isolado, mas ele se desenvolveu através de uma rede de conexões ao longo do século XX. Assim, o povo rio cerrense expressa nas suas manifestações culturais (material e imaterial), os hábitos e costumes, que afirmam a identidade histórica daquela comunidade remanescente de alemães e pomeranos.
Ao finalizar o evento, o comandante, Gerson Hornburg e os demais membros da diretoria expressaram o sentimento de pertencimento das famílias das majestades. Não faltou os agradecimentos pela organização do evento, que reuniu os associados, convidados e simpatizantes desta tradição, que neste terceiro milênio continua presente na comunidade, renovando-se, mas sem perder sua essência, os indicadores da cultura germânica.

Ademir Pfiffer – Historiador

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Patrimônio do Schützenverein Sommer na Sociedade Alvorada -09



Publicado em 19 de fev de 2017
A comunidade de Rio Cerro II ainda tem em evidência as suas referências do Patrimônio do Schützenverein.
No sábado 18 de fevereiro, os associados da Sociedade Alvorada, bem como os convidados participaram de mais edição da festa do tiro ao alvo das da estação de verãos das majestades, Eno Mathias, Valdino Laube e Jonatham Schuchardt.
A musicalidade do evento foi da Banda melodia Show do distrito de Vila Itoupava, Município de Blumenau (SC).
O evento foi na sede social da Sociedade Alvorada, com instalações na Rodovia Wolfgang Weege. 
Assim, a manifestação da festa de rei ligado à cultura germânica foi marcada pela ritualística folclórica de busca das majestades, homenagem, competições de tiro ao alvo, café colonial, tarde dançante e proclamação das novas majestades para o verão de 2018.
Segundo um teórico do Instituto do patrimônio Histórico Artístico Nacional (IPHAN), o patrimônio cultural é caracterizado como

Os bens culturais de natureza imaterial dizem respeito àquelas práticas e domínios da vida social que se manifestam em saberes, ofícios e modos de fazer; celebrações; formas de expressão cênicas, plásticas, musicais ou lúdicas; e nos lugares (como mercados, feiras e santuários que abrigam práticas culturais coletivas). A Constituição Federal de 1988, em seus artigos 215 e 216, ampliou a noção de patrimônio cultural ao reconhecer a existência de bens culturais de natureza material e imaterial.

Nesta perspectiva, o Rio Cerro II, através da Sociedade Alvorada tem a missão de salvaguardar o patrimônio cultural remanescente da colonização germânica (alemães e pomeranos), através de registro das ações dos atores sociais envolvidos na defesa da tradição da manifestação do schützenverein, bem como do schützen musik e da gastronomia.
Em relação a essa manifestação cultural e recreativa, a família Mathias participa de longa data no Rio Cerro II, tanto no segmento do tiro masculino e feminino. Dessa forma, a continuidade desta tradição segue a sua trajetória em constante adaptação. Além disso, busca superar os desafios da globalização, neste terceiro milênio, marcado pelo processo de apagamento das culturas localizadas.
Neste vídeo da coleção das fotos digitais do evento germânico destaco as simbologias da identidade visual da Alemanha e do antigo território da Província da Pomerânia, uma referência de onde vieram no passado os alemães e os pomeranos de Rio Cerro I e II.

Ademir Pfiffer – Historiador